sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Às armas, às armas... E vamos a esses garotos.

Não se esqueçam de pensar nisto e noutras coisas quando um dia tiverem que exercer o vosso direito de cidadania (será que vale a pena continuar a exercer?!), questionem-se.


Depois da ressaca das novas medidas de austeridade que vêm aí, os nossos governantes pedem poupança contenção e que façamos mais uma vez sacrifícios.

Nem deixam assentar a poeira, adquirem de rajada uma viatura para convidados do Estado. Um Mercedes S450CDI no valor de 140.876 euros . A explicação dada foi pelo custo de manutenção da anterior viatura e obrigações protocolares.

Um cidadão normal que tenha um carro antigo e a precisar de uma revisão geral o que faz? Não brinquem connosco. Se não temos dinheiro e estamos em restrições alugue-se um carro por uns dias ou compre-se um carro híbrido e mais em conta. Receber com dignidade não é o mesmo que sumptuosidade.

É uma vergonha! Depois queixem-se, o povo - «o povo é sereno» - tem que acordar para isto e muito mais. Esta notícia veio a lume, mas haverá outras peripécias que não se sabem. Definitivamente o exemplo não vem de cima e assim não vamos lá.

O Presidente da República deveria inviabilizar esta compra. Devido à cimeira da NATO compramos carros, e por outro lado são estes senhores europeus que nos mandam apertar o cinto. Um verdadeiro paradoxo...

Não seria vergonha nenhuma pedir um carro emprestado à Europa para as nossas obrigações protocolares.

Que dirão a maioria dos portugueses que gostariam de trocar de carro e não têm possibilidades para isso. Não há dinheiro não há gastos.

Este episódio mostra a nossa cultura permissiva - «quanto mais me bates mais gosto de ti» - mas que deve ser denunciada e condenada

DIVULGUEM E REVOLTEM-SE.

6 comentários:

eduardo maria nunes disse...

Eu ando a treinar para com Sócrates correr
contra estes desparates vamos todos lutar
Para que nas próximas eleições não vá vencer
Com inteligência escolher melhor para governar?

Para o povo menos explorar
Porque explorados continuaremos
Faz-me lembrar no tempo do salazar
Este socialismo que em Portugal temos?

Valdemar disse...

Se há coisa que muito me honra é ser português.
Sei que pertenço a uma terra boa, onde se geram boas sementes.
Pena que também geram alguma fracas, que as vão deixando proliferar.
Lá virá o dia em que elas irão ser colocadas e limitadas sómente ao que devem ter direito.
Tal como tu. Também eu adoro este nosso País implantado à beira Mar.
Quem luuta às vezes perde.
Quem não luta perde sempre.

Piko disse...

Oh amigo Artur, adoro a tua frontalidade e o à vontade como expões alguns dos factos que vais conhecendo, e, acredita, que nos trazes à memória outros tempos com pouco mais de trinta anos, quando acreditávamos que este mundo dos humanos só girava para a frente e recompondo o que era imperioso recompor... Claro, que não é uma crítica, bem pelo contrário, porque daria o resto da minha vida para que este país, que deveria pertencer a todos e não só a alguns, como já acontecera no passado, mas, que infelizmente, parece ser uma má sina de que já Camões e Pessoa se queixavam amargamente...
Até quando, este povo generoso, mas que é ao mesmo tempo ingénuo e matreiro, vai aguentar cruz tão pesada?!...
Um grande abraço para todos os emigrantes portugueses, sem excepção, e particularmente para o nosso ARTUR lá no Canadá!
PIKÓ

Fuzo de agua doce disse...

Se fosse só este «carrito»`ainda nos podíamos dar por satisfeitos, mas só para esta reunião da NATO, até blindados foram comprar, de certeza que vêm dum destes Países «amigos», que vêmk cá á «reunião».
Um abraço
Virgílio

António Páscoa disse...

Noutro País que funcione normalmente,todos estes incompetentes que nos estão a roubar, já teriam sido condenados, aqui no País dos bananas, veja-se o que aconteceu aos que praticaram vários crimes de corrupção´todos eles têm o rabo preso incluíndo cavacos, e como se não bastasse o que já nos fizeram continuam a esbanjar dinheiro para proveito próprio!
Agora só com pesticida para liquidar toda esta bicharada!

TINTINAINE disse...

Vivemos num país de tesos que gostam de armar em ricos!
Que havemos de fazer?