quinta-feira, 2 de junho de 2011

O cavalo e o porco - uma lição...

Um fazendeiro coleccionava cavalos e só faltava uma determinada raça.
Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo.
Assim, ele atazanou seu vizinho até conseguir comprá-lo.
Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:
- Bem, seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu retornarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.
Neste momento, o porco escutava toda a conversa.
No dia seguinte deram o medicamento e foram embora.
O porco se aproximou do cavalo e disse:
- Força amigo! Levanta daí, senão você será sacrificado!
No segundo dia, deram o medicamento e foram embora.
O porco se aproximou do cavalo e disse:
- Vamos lá amigão levanta senão você vai morrer! Vamos lá, eu te ajudo a levantar... Upa!
No terceiro dia deram o medicamento e o veterinário disse:
- Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a virose pode contaminar os outros cavalos.
Quando foram embora, o porco se aproximou do cavalo e disse:
- Cara, é agora ou nunca, levanta logo! Coragem! Upa! Upa! Isso, devagar! Óptimo, vamos, um, dois, três, legal, legal, agora mais depressa vai... Fantástico! Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa! Você venceu, Campeão!
Então, de repente o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou:
- Milagre! O cavalo melhorou. Isso merece uma festa... 'Vamos matar o porco!'
Isso acontece com frequência no ambiente de trabalho.
Ninguém percebe, quem é o funcionário que tem o mérito pelo sucesso.


Saber viver sem ser reconhecido é uma arte, afinal quantas vezes fazemos o papel do porco amigo ou quantos já nos levantaram e nem o sabor da gratidão puderam dispor?


Se algum dia alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se: Amadores construíram a Arca de Noé
e profissionais, o Titanic.
Procure ser uma pessoa de valor, em vez de ser uma pessoa de sucesso.

2 comentários:

TINTINAINE disse...

Sim senhor, isto é o que se chama uma verdadeira lição de vida!
Não sei onde as vais arranjar, mas lá que são de primeira ninguém pode negar!

Piko disse...

Claro, que se trata de uma lição para a vida, porque sempre aconteceram situações em todas as épocas com este tipo de desfecho!
Ainda rapazote e ao serviço duma empresa mineira, ouvi da boca do próprio lesado a seguinte e rocambolesca história relatada num tom de desânimo e de alguma revolta, que não mais esqueci! Contava aquele operário a três ou quatro mineiros:-« Quando o Poço Mestre tinha já uma profundidade de 100 metros evitei que um eng.ro - que havia escorregado mesmo a seu lado - se precipitasse pelo referido poço!... Volvidos alguns meses e na sequência de uma pequena questão nas oficinas da Mina, onde prestava serviço, fui chamado ao gabinete desse mesmo eng.ro, que, com todo o à vontade do mundo e sem me pedir quaisquer explicações me diz:- Meu "santo" levas 20 dias de castigo (sem vencimento)e...TENDO EM CONTA QUE HÁ POUCO TEMPO ME SALVASTE A VIDA!...»
Estávamos no ano da graça de 1959! Aquele operário era casado, tinha pelo menos dois filhos, ainda em idade escolar e teria uns vinte anos ao serviço das minas!...
Um abraço para o amigo Artur!