domingo, 19 de dezembro de 2010

Uma lição de meteorologia

...oOo...
Curiosamente é este o título que tinha formulado na minha imaginação como artigo futuro para vos enviar, do qual já tinha desistido, no entanto mudei de ideia e uso-o na mesma, porque no fundo há mais assunto a cobrir.
Tenho estado numa retranca silenciosa porque, uma in(flu)enza/gripe pôs-me de papo par o ar, ao ponto de que ao escrever-vos este artigo sinto-me com os sintomas de embriaguez, dos quais não houve proveito porque nada bebi. Que raio!
Quando se apanha uma maleita destas, por instinto tende-se a culpar alguém ou coisa causativa da mesma. Neste caso digo que foi a mulher, falo assim porque ela não perde tempo com as minhas larachas bloguetárias (palavra minha). Ora, ela é funcionária num dos hospitais de craveira da cidade e ao ser generosa ao ponto de a trazer para casa e, como eu nunca rejeitei nada do que me vem oferecendo estes anos todos, então não ia ser desta vez um ingrato e rejeitar uma coisa destas. Porém devo lembrar que quando, coisas destas advêm dum hospital cuidado porque os vírus são muito mais inteligentes porque a mutação deles tem sido mais completa ao ponto de resistir a medicamentos regulares o que os imunizou também.
Contudo é sabido que contra o vírus, os antibióticos não têm efeito algum, com a agravante de se destruir a flora bacteriana que todos nós temos nos intestinos, da qual precisamos para complementar o fortalecimento do sistema imunitário. Por isso sem bater o pé digo: foi ela, foi ela, foi ela…

Já me ia esquecendo que afinal a razão para este post é a meteorologia inerente aos efeitos dos lagos canadianos. No entanto sei que vós estais sempre a par e passo com o que vai acontecendo por esse mundo de Deus, fora… Por isso, o que vou dizer não é estranho para alguns de vós certamente, quando afinal são vocês a despertarem-me a necessidade agora de publicar este artigo, quando ia pensando pensando que já o devia ter feito antes como era intenção minha, por isso sem interesse mas como vento tudo muda.
Como poderão apreciar na captação do Google Earth, o sudoeste do Ontário está rodeado de lagos, causando assim com que a parte sul dos lagos por grandes extensões “snow belts”, corredores de neve em português, está sujeita a microclimas totalmente diferentes, as quais foram responsáveis pelo que aconteceu recentemente aqui no Ontário, o que poderão verificar no vídeo do blogue da EF no artigo: “O tempo que faz por aí”.
Os efeitos dos lagos (Lake affects) processam-se quando a temperatura negativa na casa dos 13 a baixo trazida pelos ventos nórdicos ao encontrar os vapores provenientes ainda quentes do lago, que os congela e arrasta para o lado sul do/s lago/s atingindo uma acumulação de 5 metros ao ano comparável à neve que cai no topo das montanhas!
Todavia isto é menos do que básico para se ter uma ideia do processamento deste fenómeno, onde existe muitas mais e complicadas influências o que poderão procurar na Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Lake-effect_snow
Tudo isto é comum por estas bandas o problema é que os boletins meteorológicos não vão a tempo de avisar o que está no momento a acontecer, então quando um nevão deste cai em cima dum condutor a primeira coisa a evidenciar-se é o “white out”, que é o mesmo que enfrentar a visibilidade zero, onde parar será melhor solução: luzes de emergência a trabalhar, buzinar para os que seguem saberem que alguém está ali, porque dum momento para outro, quando a tempestade é tocada com ventos fortes, os carros podem ficar submersos de imediato e aí valha-nos as equipes de socorro que muitas vezes pouco poderão fazer por algumas horas; o telemóvel para comunicação com familiares e trabalhos de socorro, entre vários artigos para protecção do frio. É imprescindível que se tenha um depósito cheio ou quase, ligar o motor por uns dez minutos de hora a hora, juntar-se a outras famílias logo haja lugar e que estejam em melhores condições de compartilhar as suas viaturas ou vice-versa.
No recente caso não tenho conhecimento de alguém ter morrido, mas envolveu tropa com helicópteros além equipas de socorro da área circunvizinha.
Pessoalmente nunca passei por nada tão grave mas já tive vários sabores da gravidade duma intempérie destas.
Espero que tenha despertado a curiosidade àqueles que gostam destas coisas e que ainda não tenham conhecimento das mesmas.

BOAS FESTAS! 

7 comentários:

António Páscoa disse...

OLÁ ARTUR! Espero que já tenhas vencido esses bichinhos que te atacaram, achei estranho quando insiste em dizer (Foi Ela) porque normalmente as pessoas que trabalham em locais de risco, são vacinadas assim como as pessoas que com elas convivem, enfim, há vírus resistentes que passam por cima das vacinas!
Quanto ao fenómeno dos lagos, despertou-me a curiosidade, um programa que vi ontem no canal 2 da RTP,em que falaram disso, que a uma certa profundidade se iam acumulando gases CO2 que poderiam fazer efeito tipo garrafa de champanhe ao tirar a rolha, podia mudar a côr das águas e espalhar-se junto ao solo num raio de 30km podendo matar todos os seres vivos,árvores e vegetação,não sei se tem a vêr com o que falas porque não estudei isto, mas assustei-me!

Um bom NATAL, as tuas melhoras e um abraço.

Artur Sousa (Leiria) disse...

Olá Pascoa;
Obrigado pelo teu “bem-querer”a meu respeito sobre a gripe que teima em continuar no meu corpo que mais franzino o vai tornando. Para muitos uma gripe é algo que se cura de qualquer jeito. No caso, até existe alguma veracidade quando se é novo e o sistema imunitário agradece até estas coisas, que o torna assim mais forte, portanto são necessárias. O grandíssimo problema é quando não se cura no tempo normal e esta vai passar a infectar a pleura e mais tarde pulmões e aí com uma pneumonia outro galo cantará, e se esta for causada por vírus em vez de bactéria então as portas do céu se escancaram para uma entrada sem impasses…
Logo, mais à tardinha vou-me ver o doutor, para uma avaliação mais concreta de que não chegou ao ponto derradeiro ainda. Se vocês notarem os grandes vultos do cinema já em idade avançada, se não é cancro que os leva quase sempre é uma destas e, não esqueçam que se preciso for, dormem com o doutor ao lado porque podem pagar.
Quanto ao CO2 a que referes não se aplica aqui. É um tópico totalmente alheio ao assunto em causa. No entanto é tópico que merece pesquisa; logo haja disposição gostaria de o fazer.
Sem mais um abraço virtual.
Boas festas!

António Páscoa disse...

Então, FORÇA RAPAZ!
Para o ano temos que ir comer o Leitão na Mealhada, corpo franzino mas rijo como Fuzileiro, ataca-lhe com antibiotico!

Rápidas melhoras AMIGO.

Valdemar disse...

Mas então vamos cá por partes!!!
O Filho da Escola já tem as portas do Céu escancaradas para lá entrar e tu António,ainda o estás a desafiar para o ano ir ao Leitão da Bairrada.
Sabes que os Santos não comem e como tal vá de o convidar!!!
Artur: - Acredito que coisa ruim não terá consequências graves, como tal, que estarás
nos trinques "recuperado" para no dia 24 comer o respecrtivo fiel amigo.
Não será uma desculpa daquela tipo que o Verde costumava inventar para não ser punido na Briosa?
Como sabias que o Comandante Tintinaine não te iria perdoar com umas guardas de castigo, e vai daí vens com esta das portas do Céu.
Agora falando sério.
Elas por vezes vingam-se assim da Gente.
Que recuperes rápidamente são os meus desejos sinceros.
Dentro do possivel vai dizendo à Gente como vão evoluindo as coisas.
Não te posso pedir para me a enviares pelo correio a respectiva, já que sou tão pobre, tão pobre, que não tenho direito a essas coisas.
Um abraço e rápidas melhoras

Artur Sousa (Leiria) disse...

Acabei de chegar do médico o qual me anima sempre com o que diz: you are looking good… you look fit, mesmo que esteja num estado miserável, I will take care of you in no time, respondia sempre às minhas perguntas com respostas sempre positivas; e se eu, como um catraio tenho sempre perguntas na ponta da língua, no fim, para confirmar que a maldita já estava nos brônquios, pôs-me os auscultadores nos ouvidos, mandou-me respirar fundo e na verdade parecia o mar bravo à distância! Dizendo que não havia problema porque a infecção estava a começar no lado esquerdo e que o direito ainda estava limpo de qualquer infecção. Receitou-me antibióticos para sete dias, que de imediato fui comprar e, como trabalho os benefícios da companhia cobrem excepto um dólar que chamam a “dispensing fee”. Tomei há pouco dois dos balázios receitados e agora há que esperar pelos seus tão desejados benefícios.
Agradeço, desta vez em especial, ao Valdemar de aquém, pelos seus bons ensejos de óptima e rápida recuperação.
Continuarei a pôr-vos ao corrente do (des)progresso desta malvada, porque na boa fé daqui em diante é só p’ra lá.
Saúde da boa a todos e;
Festas Felizes

TINTINAINE disse...

Tenho andado um tanto ou quanto ausente das lides bloguistas e quase não chegava a tempo de desejar as melhoras ao Leiria.
Isto porque se demoro mais um dia ou dois já o encontrava curado.
Mas ninguém ficaria chateado com isso, a começar por ele próprio!
Haja saúde!

Artur Sousa (Leiria) disse...

ANEDOTA
PARA RIR UM POUQUINHO!
Há gays no Norte
Uma sondagem recente da Universidade Católica / SIC / Visão, acerca de atitudes comportamentais, concluiu que, afinal, os homens do Porto são, na sua maioria, homossexuais!
À pergunta: "O senhor importa-se que eu lhe meta o dedo no cu?"
Mais de 92% da amostra respondeu:
"Metes mas é o caralho... "

E Esta hein?