terça-feira, 17 de maio de 2011

Alentejanisses...

4 comentários:

edumanes disse...

Há quem diga que os alentejanos não sabem cantar
Mas sabem amar as suas lindas alentejanisses
Olha o cucco, olha cuco, e a menina com seu olhar
Não digas mal dos alentejanos, e não te metas em chatisses
Senta -te no banco do jardim, para veres as mais belas alentejanas passar.
Obrigado por te lembrares dos alentejanos seguidores do teu blog.
Um abraço
Eduardo.

António Querido disse...

Tem cuidado, Compadri Artur, olha cu nosso Compadri Eduardo, nã dexa escapar nadaaa!

edumanes disse...

Olho vivo e pé ligeiro, compadri Antóino, para eles não levates nossas comadris.
Vou contar uma anedota: Um dia estava um compadri, em cima de um chaparro, estava cortando uma pernada, mas esta em cima dela.
Passou lá outro compadri, e disse, olhe compadri, quando vomecê acabar de cortar a pernada, vomecê vai cair com ela, e seguiu seu caminho.
Assim, aconteceu. Foi a correr perguntar ao compadri quando é que morria, uma vez que tinha adivinhado que ele ia cair. O outro disse, quando o seu burro der três peidos. Certo dia pegou no burro e foi buscar lenha. Carregou de tal modo o burro, que este tinha dificuldades em andar, e deu um grande peido. A seguir deu outro. O compadri muito aflito porque só já faltava um para a conta que lhe tinha sido indicada. Pegou no machado cortou uma pernada de uma árvore, e aguçou-lhes as pontas e meteu uma no cu do burro. E foi assim que o compadri alentejano morreu, porque uma das pontas do pau lhe espetou na barriga, quando o burro de tão carrecado que ia se peidou pela terceir, e última vez. Cujo pau lhe saiu do cu, como uma bala disparada de uma arma de fogo.
Um abraço do compadri, Eduardo para os compadris
Antóino e Artur.

TINTINAINE disse...

... tal está a moenga...!