segunda-feira, 28 de abril de 2014

O padre e o secador de cabêlo...


Uma senhora muito distinta vinha num avião, vindo dos EUA.
Vendo que estava sentada ao lado de um padre simpático, perguntou:
- Desculpe-me, Padre, posso pedir-lhe um favor?
- Claro, minha filha, o que posso fazer por si?
- É que eu comprei um novo secador de cabelo, sofisticado e muito caro. Sei
que ultrapassei os limites da declaração aduaneira e estou preocupada com a
alfândega. Será que o senhor o poderia levar debaixo de sua batina?
- Claro que posso, minha filha, mas você deve saber, que eu não posso
mentir!
- O senhor tem um rosto tão honesto, padre, que estou certa que eles não lhe
farão nenhuma pergunta ...
E deu-lhe o secador.

O avião chegou a seu destino; quando o padre se apresentou à alfândega,
perguntaram-lhe:
- Padre, o senhor tem algo a declarar?
O Padre prontamente respondeu:
- Do alto da minha cabeça até a faixa na minha cintura, não tenho nada a
declarar, meu filho.
Achando a resposta estranha, o fiscal da alfândega perguntou:
- E da cintura para baixo, tem alguma coisa?
- Sim, tenho um equipamento maravilhoso, destinado ao uso doméstico, em
especial para as mulheres, mas que nunca foi usado.

Desatando a rir, o fiscal exclamou:
- Pode passar, padre!!!

2 comentários:

Eduardo Maria Nunes disse...

Assim enganou o fiscal
Com a sua sofisticada ferramenta
Talvez tenha estudado em Portugal
Onde a corrupção não tem emenda!

A senhora espertalhona,
O padre lá se defendeu
Com o secador na azeitona
Debaixo da batina o escondeu!

Muito bem amigo Artur Leiria,
O que andas tu por aí estudando
Sabes bem o que a senhora queria
Era meter na coisa dela o marmanjo!

Um abraço.

Tintinaine disse...

Quem sabe sabe!
Anedota velhinha, mas muito boa.