segunda-feira, 2 de abril de 2012

Alentejanices com aldrabices...

A Maria adoece e o Manel diz-lhe para ir ao doutor.

O médico receitou-lhe uns supositórios...

A Maria chega a casa e pergunta ao Manel: 
- Onde fica o ânus? 
E o Manel responde:
- Ê sê lá mulher... porque nâo perguntaste ao Sr. Doutor?
No dia seguinte, a mulher volta ao médico e pergunta-lhe onde colocar aquilo.
- Ponha no recto!!! - Respondeu o médico. 
Maria chega a casa e desconhecendo onde era o recto, pergunta ao Manel. 
Ele responde: 
- Ê sê lá mulher!!!... Porque não perguntaste ao doutor? 
A Maria volta então ao consultório médico e volta a fazer a mesma pergunta ao doutor.
Ao chegar a casa diz ao Manel: 
- Sabes o que o Sr. Doutor me disse?... Que o metesse no cú.
- Atâo, o que esperavas mulher?... Depois de teres ido lá chatear o home três vezes?!!! 


Os nobres alentejanos 
Sempre a pagarem as favas
Por vezes são enganos 
Porque inventas e aldrabas
Pior do que os ciganos 

São pois bem castiços 
Do melhor que existe
Só queria que os visses 
Não mora lá a patetice 

Porém se os ouvisses
Não são gente de desonra
E se tu os sentisses
Sentirias muita honra 

Pôr-te-ias em sentido
Em prol do muito brio
Muito heroísmo cometido
Nas descobertas é bem sabido
Por um Portugal sadio

Muita honra e respeito aos Alentejanos é aqui devido!!!

3 comentários:

TINTINAINE disse...

Olá compadre! Que tal está a moenga?
Por via da festa tenho andado um bocado desaparecido, mas vou lendo e vendo tudo que por aqui se diz.
Um abraço!!!

Observador disse...

Os Alentejanos até estranhariam se não se contassem umas piadas a seu respeito, estou convencido que poucos se importarão com as piadas tão habituados estão a elas que não levam a mal.
Um abraço
Virgílio

edumanes disse...

Pobres alentejanos
Da terra do calor ardente
Vivem dos enganos
Cantando alegremente.

Lá no campo desconte
Sempre contra o explorador
No inverno deitam a semente
No verão ceifando o trigo ao calor.

Reprimidos por qualquer estupor
Que os explorav até mais não
A qualquer bandalho chamavam de doutor
Não podiam falar contra a repressão.

Ai daquele que falasse
ia logo para a prisão
Mesmo que a verdade contasse
Não lhe era concedido perdão!

Agora ser uma bandalheira
Mais rouba quem exerce o poder
Para eles a liberdade ser a melhor maneira
Que encontraram para o povo f...der!

Desejo um bom dia para ti, amigo Artur,
um abraço.