quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Corrupção ao vivo - reconfirmada!

Nota minha
Curiosamente, recebo um correio electrónico do Google a dizer-me que infringi a lei da autoria e que por esse motivo tiveram que remover a listagem a qual tinha foto; reintroduzo-a agora em baixo, mas sem a referida foto.
Quer dizer que o artigo doeu a quem de direito, quando, pensava eu, que só meia dúzia de colegas ia lendo os meus blogues. Porém, a minha consciência diz-me que é direito de qualquer cidadão expor a verdade sobre todo e qualquer incidente debaixo da lei da expressão livre, logo provenha de fontes verídicas e concretas. Eis o artigo: 

"Corrupção - a ordem do dia - a todos os níveis… 

Voltei, estou de regresso, depois de um interregno de poucos dias. Não pensem que fui fazer do repasto à jibóia do “Oni bus” do artigo anterior. Eu conto: 
Dias atrás o meu digníssimo computador, que por hábito meu está sempre ligado, desligo-o por ter recebido a notícia de que a Toronto Hydro (companhia da electricidade cá do burgo) ia fechar a luz por cerca de 2 horas; por motivo de instalação de transformadores, penso, na área circunvizinha à minha toca domiciliária. 
Logo após, uma hora e tal, o meu “prega-partidas” disso que não, que não ia arrancar de jeito nenhum. Carrego botões, reconfirmo se todas as ligações estavam como manda a lei destas maravilhas, carrego, confirmo de novo, volto a carregar e nada! 
Santa Misericórdia! Pensava eu que estas coisas só acontecem a gente boa dessa banda dos “brandos costumes”. Muito em especial aos velhotes comparsas cibernautas dos blogues em voga…! 
 Ora, eu tenho um rapaz amigo do meu filho que, ao ser seu amigo, forçosamente (queira ou não), tem que ser meu também, pronto. Este bom parceiro percebe de “com(putas)” a granel, seja ele no “software ou hardware”! Sempre prontinho a ajudar o chato do Leiria, onde a remuneração da minha parte jamais será por ele aceite, obrigando-me a procurar outras vias para o acto remuneratório. 
Desta vez porque, a consciência há muito me vai sobrecarregando, disse para comigo: não, não vou chatear o Marco porque, caramba, o que é demais, é demais?! Vou ao Future Shoppe - o conglomerado gigante de tudo o que é electrónico - onde este “prega-partidas” me foi subornado a troco de muitos e bem penosos dólares…
- Comprei o computador aqui acerca de quatro anos e o “castiço” feito caro, não quer pegar de jeito nenhum, digo eu para o fulano ao balcão, escurinho e talvez da terra por onde o Camões sofreu agruras na pele e os amores platónicos dos anos quinhentos; como só ele, tão bem, os escreve e canta…!
- Vamos ter que fazer um diagnóstico, que com a taxa custa sessenta e nove dólares, diz ele com um ar de quem apanhou mais um parolo na ratoeira…
- Como assim? Pagamento em avanço é coisa que não se usa em lado nenhum!? Pergunto eu, desconfiado e de pé atrás.
 Era o coração das tripas a dizer-mo, só que armado em pacóvio não lhe dei (ao coração) ouvidos e há que acordar com as condições destes salteadores de carteiras… Mas, sendo isto a ordem do dia: desde os governos, como refúgios de corruptos, até às multinacionais mafiosas passando pelos Zés das esquinas que grassam por todo lado, que de olhos fechados, são a rodo e pontapés…!?
Porquê a admiração deste irrisório e simplório alma de Deus de nome Artur Sousa, conhecido por Leiria. 
Hey, aí! Eu, como um bêbado, que o não quer ser quando o está, mas que no outro dia, categoricamente, diz: “mas que grande bebedeira apanhei ontem” direi: "mas que grande Zé Bananas me saíste, quando tens um amigo que, apreciativamente está sempre pronto, a dar-te uma mão, e tu, mal agradecido, porque a consciência assim o obriga, foste enganado como um otário, e de que maneira?!" Desculpem mas eu posso dizê-lo. Vocês, “please”, contentem-se em pensá-lo, valeu? 
Ao voltar lá para resolver a situação, dizem-me categoricamente que precisava duma “motherboard”, que mais parece uma mãe p..a - onde é acoplada toda geringonça inerente ao tal feiticeiro de nome “computas”, (nome muito meu). 
Que precisava também dum “processor” algo que lhe dá mais velocidade o que iria custar à volta de 400 macacas, e, que para isso com mais 300, poderia optar por um novo com uma potência estonteante, com um super “processor” que originaria uma super velocidade: blah… blah… blah! Baloony! I knew it...! I knew it…! Todo o mundo anda atrás do nosso doloroso “el contado”.
Não fizeram nada, fizeram tanto como zero, “zilt, nothing, nyet, niente”, nem sequer o diagnóstico! Simplesmente o “Sales talk” duma possível nova venda. Mas… enganaram-se! Enganaram-se redondamente!
Pior que estragado, apresento os factos ao Marco, com desculpas pelo meio, pela minha inconsideração para com ele e, vai que me diz: “aí há jogo, trás o computador que eu resolvo a coisa”. Tão depressa foi dito, mais depressa resolvido! Formidável! Impressionante!
Logo ao abri-lo, viu que era do pequeno transformador que reduz a corrente normal, (cá 110 para 8 volts) aí penso ser de 220 para os mesmos 8 volts. De imediato, o Marco sacou um dum computador já na terceira idade, usado como eu, e zás, que já está!
- Vem buscá-lo que está como novo, diz o Marco…! Velhinho no mundo das modernices da computação, mas como novo para o homem da narrativa e pelo preço que paguei (um muito obrigado), soube-me melhor do que ginjas com a única agravante, confesso, de que para a próxima o Marco vai castigar-me com a dolorosa que é para ganhar juízo.
Levo-me a aproveitar este meu desabafo com os meus amigos, que se ao acaso não lerem esta “trickery” não faz mal, porque reconheço ser longa e redundante, mas contudo alivia-me no gesto de ter que prosseguir com reclamações que não passariam de pregações no deserto para mercadores corruptos com tentáculos potentíssimos! 
No fundo, o Marco tem toda a razão por eu não ter pensado que sensibilidades também se ferem… Eu, com os meus botões resmungando, pergunto-me:
“Será que burro velho tome ensino?”

7 comentários:

Anónimo disse...

Boa história... Aprendi durante este anos que não há nehum salesman que seja 100% honesto e aprendi também (com excepção da policía/tax department) que merece a pena que cada vez que um gajo é embarretado, fazer a respectiva queixa ao mais alto nível... Companhias Aéreas, Real Estate Agents, Shops etc... Porque geralmente sempre aparece uma apologia seguida de um voucher.
Valdemar Alves
Valdemar Alves

TINTINAINE disse...

Não percebi muito bem de que é que a Google se queixou. Direitos de autor ou propriedade da fotografia?
Isso também está a acontecer comigo por causa de um video que carreguei no Youtube.
Contratei um fotógrafo para o convívio do ano passado, ele gravou umas cenas em video, meteu-lhe uma música de fundo e enviou-mo. Eu cortei um trecho, mudei-lhe o formato e enfiei-o no Youtube para a malta ver. E agora de tempos a tempos recebo um mail avisando-me que continuam a receber queixa pela falta de pagamento dos direitos de autor da tal música.
Vou acabar por retirar o video do Youtube, tal como fiz com o outro (Vai tomar no cu) que deu origem ao encerramento do Blog da CF2, pois acredito que quem tinha interesse em ver aquilo já viu com certeza e portanto já não tem qualquer serventia.
P.S. - O Valdemar está a ficar como o Filipe Cruz. Há tanto tempo desligado da Pátria, já começa a inventar palavras novas. Apologia não serve como tradução para "apology"! E "desculpa" o meu reparo!

Anónimo disse...

Hehehe!... Ora está aqui um reparo do Tintinaine que já me dei conta e o qual é díficil de corrigir por razões óbvias... Os nossos emigrantes franceses (os chamados avecs) é que são especialistas nisso e francamente penso até que o fazem de propósito... Amanhã há castanhas no Club Português e gostaria que ouvissem as conversas entre os portugueses de longa data pela Oceânia, porque tenho a certeza que os chamariam de ASSASSINOS DA LÍNGUA PORTUGUESA!... Fiquei contente pelo reparo.
Valdemar Alves

virgilio disse...

E eu a pensar que os salteadores tinham ficado todos por cá, afinal estão por todo o lado, isso de ter Amigos que tratam por tu as novas tecnologias é um achado, também tenho cá disso, o que me dá um geitão, com a vantagem de vir ao domicilio e tudo.
Não estou a gostar nada desses avisos e retiradas de conteúdos dos blogs, até agora ainda não me retiraram nada, mas tenho tirado algumas fotos que encontro por aí, e devo estar na calha, estou em crer que há gente que coloca musicas, vídeos e fotos para ver se sacam algum, e não para mostrar o seu valor, isto é um mundo cão, então um gajo publicita á borla os seus trabalhos e ainda tem de pagar?
Um abraço
Virgílio

edumanes disse...

Já não há dinheiro que chegue
Porque muitos o querem todo
Por isso outros ficam sem ele
Quem me manda a mim ser tolo
Sou de opinião que tudo seja publicar
Quem não quiser não lê
Mas neste mundo onde tudo anda a gamar
O cego que não vê.
Ninguém é obrigado na internet, publicar
Se não pretende que os outros a ouçam
Quem os manda suas músicas divulgar
Vocês querem muitos dinheiro, por pouco trabalhar
Se pensam ter direito porque não o vão reclamar?
Não coloquem suas músicas
Para para depois o aluguer cobrar.

António Querido disse...

À pois é, não quereis acreditar que os há em qualquer continente, mas o que os ai, ai...não há para onde fugir, temos que estar sempre com os dois pés atrás e dedo no gatilho!
Segurem-se amigos
O meu abraço

Braulio Pereira disse...

cá estou gosto de saber

relatos da nossa infancia

e nao só

abraço filho da escola..