quarta-feira, 13 de julho de 2011

O meu exame de condução pela centésima vez (!?)


Em jeito de esclarecimento...

O vosso escriba:
 Artur/Leiria

Tenho andado arredado um pouco das lides cibernéticas no que toca à palavra escrita. Mas prioritariamente existem outros assuntos que estão mesmo no topo da lista inerente às prioridades.
Vejamos: nesta terra do sangue suor e lágrimas (creio que já ouviram esta) onde subsiste um calor de zona tórrida, que até racha, o qual se vai fazendo sentir nos dias de hoje, como é próprio da época que vamos atravessando, até ao frio dos - abaixo de zero – do inverno, que no inverso se poderá aplicar a mesma escala termométrica com os símbolos (+) (-) como única diferença!
Bem, não é bem disto que quero falar, mas sim da obrigatoriedade que, depois dos benditos 65 aninhos, de ter que se fazer todos os exames físicos e não só, além dos práticos para a preservação daquele documento tão importante que nos permite, não somente, o pão de cada dia, como ainda a liberdade de se conhecerem novos horizontes neste lindíssimo, (nem sempre), mundo dos vivos, de todos nós…!
Mas, (aqui há um “Mas”), só no caso dos ingredientes pertences de uma boa saúde física, mental e motora subsistam, e, gana para avançar (!?), a oportunidade existe para se poder usufruir de tão ditoso documento para a vida, neste país, amém!
Acabei ontem mesmo, de cumprir tão desencorajante, deprimente, descoroçoante, consternante e maldita tarefa: que passei com uma perna às costas, de olhos fechados e a comer um pastel de nata (figurativo)!
Assim vou-me até à terra dos ‘tugas’, descansadinho da costa, para vos dar um ‘abração’ (cuidado com as costelas porque não há suplentes para as repor: a fábrica faliu, está em limbo, como sabeis).
Tenho vindo a ler o que vós tão eloquentemente ides colocando nas ‘folhas’ da internet… tenho lido alguns dos mais de 4 mil… (sim 4 com três zeros) de e-mails que tenho nas minhas caixas electrónicas. Gosto de guardar tão aliciante tesouro mas o tempo vai sendo curto para poder dar pai à criança, com a agravante de que atingi o limite da capacidade que me é oferecido grátis no Hotmail - o que me obriga a separar o trigo do joio - quando o tempo aqui, bem escasso, é de primordial importância.
Agora já sabem o real status deste comparsa do aquém-mar. Queiram desejar-me um bom-dia pela retribuição dos bons dias, semanas, meses e anos que vos vou desejando, há muito.
Cordiais saudações.

“Ciao banbinos”!

11 comentários:

Anónimo disse...

Amigo Leiria
Também eu vou ter que revalidar a minha carta de condução, embora a data limite seja Janeiro do próximo ano, a coisa pode ser tratada seis meses antes, o que quer dizer que a partir de 27 deste mês posso tratar disso, aliás já passei pela Escola de condução de P. Salvo para saber o que era preciso, e para além duma foto, desembolso oitenta e cinco Euros, com atestado Médico incluido, tirei a carta gastando duzentos escudos e agora para renovar gasto oitenta e cinco vezes mais, é obra.
Um abraço
Virgílio

TINTINAINE disse...

Olá aqui da Villa Euracini! Então está a licença carimbada para mais um ano de trabalhinho, não é verdade?
Tomara muita gente poder dizer o mesmo!
Aqui em Portugal o que está a dar é ir para a fila do desemprego e gemer e chorar sem esperanças de conseguir uma oportunidade.
Abraço

Artur Sousa (Leiria) disse...

Baixinho (wispering) para que membro algum da porca da politica possa ouvir, porque pode-lhes dar na real gana e mudarem leis 'num ver se te havias' tão facilmente, como quem vai, na usual rotina, à casa de banho e lixarem-me com elas.
Quanto à situação em Portugal, há que haver muita coragem, disciplina e determinação, respeitante ao ganhar e gastar aquilo que evita a falência física e mental.
Por isso coragem, que melhores dias terão que vir…
Saúde.

António Querido disse...

Se fosse aqui, neste cantinho já sombrio, eu metia-te uma cunha, para dares lugar a um jovem, aí não sei se há desemprego, ou como se processam as leis do trabalhador, de qualquer modo o que te desejo são ganas e espírito jovem para continuar a trabalhar!
Um Abraço

Piko disse...

Oh amigo Leiria é sempre um prazer dar-te uma respostinha, porque além de bom rapaz dá jeito estar informado, ainda que, por vezes, as notícias não agradem muito... É certo que devemos ser dos povos do mundo que mais se queixa, mas também é verdade que fomos quase sempre um povo sofredor... No tempo do homem que diziam que sabia tudo, chegamos à idade adulta sem saber qual era a mão direita - ainda há quem tenha saudades, vamos lá perceber isto -hoje que temos já uma visão mais ampla e alargada, que sabemos ter uma melhor qualidade de vida, que as nossas crianças são muito melhor alimentadas e instruídas... Eis que não iremos ter o sossego final que as pessoas de bem mereciam para partirem descansadinhas, sabendo que fizeram o trabalho de casa e que valeu a pena, sim senhor!
Sabes Leiria, isto até seria estimulante se estivéssemos no apogeu, aí com vinte anitos, mais o que a nossa História de Vida nos ensinou...
Mas também é verdade que uma boa parte de nós nunca teve facilidades desde miúdos, logo gostamos de desafios e não somos fáceis de vencer... É verdade ou não é?!
Por isso sabes que nós enfrentamos as dificuldades como as modas nas passarelles...
Goza as tuas férias, se possível em Portugal, como anda a apregoar o conservador do Cavaco, que foi o que se pôde arranjar, porque afinal o tal Salazar, foi e não há maneira de voltar...
Um grande abraço Artur e óptimas férias!

edumanes disse...

Essa tua cara de jovem,
Lá tão longe a trabalhar
Dos anos que não fogem
Fazem o passado recordar.
Os portugueses são assim
Audazes e aventureiros
Numa aventura sem fim
Nos descobimentos foram os primeiros.
O sangue que corre nas veias
De guerreiro Lusitano
Andou por terras alheias
Palantou suas sementes
Viviu um grande engano
Veio embora sem meias.

Não te estragues. Continua a cuidar da tua saúde.

Gostei do teu texto, muito inteligente e rico em imaginação.

Um abraço
Eduardo.

Ah! Esquecia de te agradecer o mote que me deste para eu continuar a escrever. O triste romance, da vida, de tua pulga azarada.

Agostinho Teixeira Verde disse...

Que coisa tão ingrata
Esta da renovação
Se não é preciso carta
Para o carrinho de mão!
Podeis rir-vos à farta
Mandai conduzir o patrão...
Na Inglaterra é pela esquerda
Aqui vai sendo pela direita
Acaba por ser uma merda
Quando a estrada é estreita...

J. Rosa Silva disse...

Pois é amigo Leiria.
Esta da renovação da nossa licença para conduzir, nestas idades, passa a ser uma dor de cabeça... Acabei agora de renovar a minha com validade para dois anos.
Para informação do Virgílio só gastei quinze euros. Retirei e pwereenchi o Impreso na Net, dirigi-me à loja do cidadão mais próxima com uma foto e a declaração médica e passado cerca de quinze dias recebi aviso para levantar o documento na estação local do Correios.
Afinal nem tudo foi mau o que o Socas nos fez...
Um abraço.

Anónimo disse...

Amigo Rosa da Silva
Só agora li a informação que aqui deixou, e agradeço, pois está-se mesmo a ver que ia ser «comido» salvo seja pela Escola de condução cá do sitio.
Um abraço
Virgílio

Artur Sousa (Leiria) disse...

Deveria responder a todos, mas como é muita areia para a minha camioneta digo-vos: - Obrigadinho; vós sois todos uns queridos, com diferença que, o Querido passa a ser um querido duas vezes!
Abraços e saudinha da melhor...

António Querido disse...

Queres dizer que sou um (querido dobrado) tens razão, a idade não perdoa!
Um Abração