segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Gripe

Um sujeito, voltando de uma viagem de negócios dois dias antes do previsto, entra num táxi no aeroporto. 
Enquanto se dirigem para casa, ele pergunta ao taxista se não se importa de ser sua testemunha, pois suspeita que a sua esposa está tendo um caso e pretende apanhá-la em flagrante. 
O motorista concorda e, ao chegarem silenciosamente à casa, sobem pé ante pé até ao quarto. 
O marido acende as luzes, arranca o cobertor e lá está a esposa dele na cama com outro homem. 
O marido coloca a arma na cabeça do homem nu. 
A esposa grita: 
- Não faças isso! Este homem tem sido muito generoso! Eu menti quando te disse que tinha herdado dinheiro. 
Foi ele quem pagou o BMW que eu comprei para ti, ele pagou também o nosso iate novo e foi ele quem comprou e mantém a nossa casa na Quinta do Lago e comprou o nosso título do Ténis Club! 
Perplexo, surpreso, o marido abaixa a arma. Olha para o taxista e pergunta:
- O que é que você faria? 
O motorista responde: 
- Eu cá tapava-o já com o cobertor, antes que ele apanhe uma gripe.

6 comentários:

Valdemar Ribeiro Alves disse...

Esse gajo era primo direito Ministro das Finanças... Hehehe!

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Uma anedota triste.
As pessoas trocam a sua dignidade por um naco de pão.

Outras vendem-se para sobreviver...

TINTINAINE disse...

Foi um bom conselho. O taxista tem a escola toda!

ALBERTINO Veloso disse...

Tomem atenção, ó comentaristas de meia tigela: - Então não sabem que é muito difícil arranjar dinheiro? Ora se é, que importa mais uma puta e um cabrão se daí vier dinheiro fácil?
Manda mais dessas, Leiria.
Um abraço a todos e não tomem a sério o qualificativo, que foi a brincar.

Observador disse...

A isto se chama ser "corno manso", será que o taxista recebeu a bandeirada?
Um abraço
Virgilio

António Querido disse...

Isso é um amor de mulher! Se o marido usufruía de todos esses bens.